MENU

Portuário pedala do Espírito Santo até o Rio para denunciar perseguição política

PORTUÁRIO PEDALA DO ESPÍRITO SANTO ATÉ O RIO PARA DENUNCIAR PERSEGUIÇÃO POLÍTICA

Publicado: 18 Março, 2022 - 16h49 | Última modificação: 18 Março, 2022 - 17h09

Escrito por: Portuários Rio

Sindicato dos Portuários do Rio de Janeiro
notice

Veja essa história de resistência e luta por direitos dos portuários


641 quilômetros. Uma longa jornada de bicicleta cumprida em quatro dias de Aracruz, no norte do Espírito Santo, até o Rio de Janeiro. A motivação? Provar que é apto ao trabalho e que seu veto à contratação como avulso tem motivação política.


A história de Herval Nogueira Júnior, portuário do Espírito Santo, conta com 35 anos de carreira. Ao fazer exame para ingressar como avulso, conforme é assegurado por lei, foi surpreendido ao ser classificado como inapto por problemas ortopédicos. A questão é que Herval tem laudos de especialistas que comprovam que, apesar de ter duas próteses no joelho, não enfrenta limitação alguma para o trabalho. Sindicalista, diretor do Sindicato Unificado da Orla Portuária do Espírito Santo, o trabalhador entende o veto ao seu trabalho como uma decisão política.


“Fui militante sindical por 19 anos e retornei no ano passado à diretoria do Sindicato, o SUPORTE. Tenho uma história de luta por direitos dos portuários e defesa do porto do Espírito Santo. E continuo na luta contra a privatização. Junto com outros companheiros, temos denunciado o absurdo do edital de privatização da Companhia Docas do Espírito Santo que vai colocar em risco o movimento no porto, ameaçar a estabilidade dos concursados, o futuro dos aposentados e prejudicar toda a sociedade”, afirma.


Para provar que está em perfeitas condições de saúde, Herval resolveu pegar a estrada pedalando. Quatro dias até a capital fluminense onde foi recebido pelos companheiros do Sindicato dos Portuários do Rio de Janeiro.
“Essa jornada é a prova de que tenho todas as condições para trabalhar. Sou apto e vou seguir na luta, inclusive acionando a justiça para que meu direito seja respeitado. A acolhida dos companheiros do Rio está sendo fantástica, um apoio incrível, humano. Só tenho a agradecer. Estou me sentindo em casa. Isso renova nossa disposição para a luta”, declarou.


O diretor do Portuários Rio, Valclides Nascimento, se emocionou ao falar sobre o exemplo dado por Herval: “Ele nos prova e à toda a categoria que estamos com gás, com disposição para lutar. Com um sol desses na cabeça chegar até aqui de bicicleta, percorrendo mais de 600 quilômetros, representa a força dos portuários. E nos estimula a seguirmos juntos contra a privatização, contra esse governo genocida que quer entregar todo o nosso patrimônio”, considera Nascimento.


Sérgio Giannetto, presidente do Sindicato dos Portuários Rio, reforça: “Nossa admiração e respeito pelos que não se dão por vencidos diante das injustiças. Herval nos mostra isso com criatividade e muita energia. Não vão nos limitar na luta. Como nosso companheiro do Espírito Santo, temos determinação e força para seguir na luta”, afirma.