• TVT
  • RBA
  • Rádio CUT
MENU

Homem negro é assassinado por seguranças em Carrefour de Porto Alegre

Publicado: 20 Novembro, 2020 - 11h44

Escrito por: CUT Rio

Divulgação
notice

Acordamos neste dia 20 de novembro, dia da consciência negra, com a notícia de um espancamento que levou à morte de um senhor negro, João Alberto Freitas, no estacionamento do supermercado Carrefour em Porto Alegre.

O motivo para o crime até o momento está pouco explicado, mas parece banal. Um desentendimento entre a vítima e uma funcionária do supermercado. Os seguranças agiram brutalmente com socos e chutes até que o homem negro estivesse morto.

É impensável que em 2020 ainda tenhamos casos como este. Na véspera do dia da consciência negra somos lembrados mais uma vez, da pior forma possível, da necessidade da data. O povo negro no Brasil é maltratado todos os dias e episódios desta natureza estão longe de serem casos isolados.

A empresa diz que demitirá os funcionários e romperá o contrato com a empresa que faz a segurança de suas lojas, mas isso é muito pouco. Uma vida foi perdida. Quantas outras vidas ainda serão necessárias que percamos para mudar essa mentalidade punitivista do século XVIII, que enxerga negros como inimigos que devem ser exterminados.

Nos Estados Unidos a morte de um negro é capaz de iniciar protestos em nível nacional, alterar bandeiras de estados e modificar leis locais. Uma ampla discussão é aberta na sociedade sobre financiamento da polícia e papel das forças repressoras. Até a eleição presidencial foi afetada pelo ocorrido. E no Brasil? Tem vídeo, tem fato, o que falta para que aconteça algo mais definitivo que proteja nosso povo?

A CUT do Rio de Janeiro reitera sua defesa intransigente contra o racismo em todas as suas formas. Lutaremos sempre para que fatos como este nunca mais aconteçam.