• TVT
  • RBA
  • Rádio CUT
MENU

FNU/CNU promoveu seminário em defesa da água e do saneamento

Entre os dias 25 e 26 de março a Federação e a Confederação Nacional dos Urbanitários apresentou seminário para promover o Dia Mundial da Água, lembrado no último dia 22

Publicado: 26 Março, 2021 - 16h45 | Última modificação: 26 Março, 2021 - 16h49

Escrito por: CUT Rio

Divulgação
notice

A Federação e a Confederação Nacional dos Urbanitários (FNU/CNU) aproveitou a semana que comemora o Dia Mundial da Água para dar luz sobre o tema, com um seminário intitulado “Luta em defesa da água e do saneamento”. No evento estavam presentes especialistas nacionais e internacionais sobre o tema e representantes da categoria. A FNU/CNU representa as profissões relativas ao tratamento das nossas águas.

Um dos focos do seminário foi a discussão pela garantia do acesso universal à água. Sabemos que 34 milhões de brasileiros ainda carecem de abastecimento de água, segundo o Instituto Trata Brasil. Esse número é alarmante e pode representar uma realidade mais próxima do que você imagina. Muitas dessas pessoas estão em grandes centros urbanos que não tiveram uma integração adequada no sistema de distribuição de água e dependem de caminhões pipa para sobreviver, ou pior, de águas de fontes não confiáveis.

Outro ponto importante do seminário foi a luta contra a privatização das empresas e a defesa do serviço público. Assim como os eletricitários, dentro da FNU/CNU, os trabalhadores do tratamento e abastecimento de água também sofrem grande pressão do governo pela privatização. Na contramão do mundo, que cada vez mais estatiza o acesso à água, o Brasil quer vender a infraestrutura que leva água de qualidade até o brasileiro.

“Mais de 285 cidades no mundo de 2000 à 2016 resolveram reestatizar seus serviços de saneamento por conta das empresas não terem cumprido com o compromisso assumido, entre os compromissos quebrados estão as tarifas abusivas, investimentos não implementados e a demissão de mão-de-obra especializada” confirma Pedro Blois, presidente da Federação Nacional dos Urbanitários.

A água é um direito humano e não pode ser tratada como mercadoria. O resultado dessa política já pode ser observada na queda da qualidade do tratamento e abastecimento. Essa queda é proposital, um plano de governo que sucateia para privatizar. Conhecemos essa receita desde os tempos de FHC.

Para piorar, querem fazer tudo isso com dinheiro público. “dizem que até 2033 haverá a universalização dos serviços de saneamento no país, pura falácia, e o pior de tudo isso é esse governo alardeia que o BNDES tem uma linha bilionária de recursos para as empresas privadas, ou seja, vão entregar às empresas privadas todo patrimônio constituído com dinheiro público e ainda terão financiamento público" explica Pedro Blois.

As mesas de debate do seminário aconteceram online e podem ser assistidas no Facebook da FNU/CNU ou no canal no Youtube.

FACEBOOK FNU/CNU

https://www.facebook.com/282852528433640/posts/4176193009099553/?d=n

YOUTUBE - FNU/CNU

https://m.youtube.com/watch?v=RG0IVIx8Cv8&feature=youtu.be