• TVT
  • RBA
  • Rádio CUT
MENU

Bolsonaro mente em discurso na Assembleia Geral da ONU; veja por quê

“Vim mostrar um Brasil diferente aqui”, ele disse; de fato, mostrou um Brasil que não existe

Publicado: 21 Setembro, 2021 - 13h11 | Última modificação: 21 Setembro, 2021 - 13h30

Escrito por: CUT-Rio

Charge: Alexandre Bersot
notice

No mundo imaginário de Bolsonaro, o Brasil está perfeito. Mas entenda porque Bolsonaro mente e expõe o povo brasileiro à vergonha internacional. No discurso realizado nesta terça-feira, 21/9, na Assembleia Geral da ONU, ele diz: 

“Na economia, temos um dos melhores desempenhos entre os emergentes.” – Que desempenho é esse? Em 2020, o PIB despencou 4,1%, o maior tombo da economia do país desde 1996. O Brasil hoje ocupa a 38ª posição no ranking mundial e está no negativo, com PIB de -0,1%.

“Estamos há dois anos e cinco meses sem corrupção”. – Mentira. Jair Bolsonaro e seus quatro filhos são alvo de investigações por rachadinha, vantagens em contratos superfaturados da vacina Covaxin, lavagem de dinheiro, gabinete do ódio, disseminação de fake news e outros crimes.

“Não entendemos porque os países e a mídia foram contra o tratamento inicial”. – A gente explica: a comunidade científica mundial comprovou que é ineficaz. No discurso, Bolsonaro voltou a defender o tratamento precoce com hidroxicloroquina, cloroquina, azitromicina e ivermectina, mesmo sendo rechaçado pela ciência. Além disso, vale lembrar que ele também apoiou o estudo ilegal que tentou comprovar a eficácia do tratamento precoce, da Prevent Senior, que omitiu mortes de pacientes e é alvo de investigações pela CPI da covid e pelo Ministério Público de São Paulo.

“Somos contra obrigações relacionadas à vacina.” – Na contramão do mundo, Bolsonaro disse que é contra o passaporte da vacina, fez críticas à medida que é indicada por especialistas e que deu resultados positivos em inúmeros países, e manteve o discurso negacionista sobre a vacina, expondo o Brasil a um vexame mundial.

“Mais de 600 mil indígenas vivem em liberdade”, ele falou. Mas não falou sobre a Primavera Indígena, a maior manifestação dos povos originários dos últimos 30 anos, acampados em Brasília desde agosto contra o desmatamento, os ataques e conflitos causados por garimpeiros e latifundiários, e o massacre às populações indígenas e a destruição dos territórios. 

A rejeição ao governo tem recorde de 64%. Entendeu porque Bolsonaro derrete?